Ecocine

Festival Internacional de Cinema

Ecocine 2022

Em comemoração aos 30 anos de existência, o ECOCINE abre suas inscrições para obras audiovisuais produzidas a partir de 1992. Serão aceitas obras sobre as temáticas Meio Ambiente e Direitos Humanos, nos formatos ficção, animação/live action e documentário, de curtas, médias e longas metragens. Obras que dialogam com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU são muito bem vindas e poderão compor painéis temáticos especiais. Serão premiadas obras nas categorias Meio Ambiente e Direitos Humanos, nos diversos formatos.

Cúpulas da Terra: construindo e reafirmando compromissos pela vida

Em 1972, a Conferência de Estocolmo marcou o primeiro grande movimento mundial em direção à construção de um futuro comum: a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano. Nessa primeira grande reunião de chefes de estado organizada pela ONU, foram tratadas as questões relacionadas à degradação ambiental com vistas ao estabelecimento de tentativas de melhorar as relações do homem com o Meio Ambiente. O princípio norteador foi a busca por equilíbrio entre desenvolvimento econômico e redução da degradação ambiental, princípio que posteriormente evoluiu para a noção de desenvolvimento sustentável. Esse conceito gestado desde os anos 70, foi disseminado em 1987 no Relatório Brundtland (Our Common Future), documento que indicou que a pobreza dos países do então terceiro mundo e o elevado consumismo dos países do primeiro mundo eram as causas fundamentais que impediam um desenvolvimento igualitário no mundo, produzindo graves crises ambientais. O documento apontava também para os riscos das mudanças climáticas (aquecimento global, chuvas ácidas, destruição da camada do ozônio), as destruições ambientais pela industrialização crescente e a perda da biodiversidade, temas que ainda eram novos no debate mundial.

O documento primou pela postura neutra, sem atribuição de culpas e foram estabelecidas metas a serem atingidas pelas nações, sugerindo o estabelecimento de limites para controle da degradação ambiental e o estímulo para a superação da pobreza através de desenvolvimento. Foi também sugerida a realização de outro evento mundial, que ocorreu no Brasil 20 anos depois: a ECO 92, Cúpula da Terra, também conhecida como RIO 92. Nesse grande evento, foi firmado por 156 países a Convenção da Biodiversidade e publicada a Carta da Terra, uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica, oferecendo um novo marco para guiar a transição para um futuro sustentável. Nesse contexto nasce, o primeiro festival de cinema ambiental do Brasil: o ECOCINE.

ECOCINE 30 Anos - 2022

Inscrições abertas

Em comemoração aos 30 anos de existência, o ECOCINE abre suas inscrições para obras audiovisuais produzidas a partir de 1992.

Fatos

Veja os números do Ecocine!

30

Anos de história

142.000

Público atingido

1150

Filmes exibidos

ECOCINE 30 Anos

Rio + 30

O que aconteceu no mundo nessas 4 décadas? Quais os avanços e retrocessos que vêm permitindo ou impedindo a realização dos sonhos de uma vida sustentável em um planeta acolhedor?

Pelas telas do ECOCINE passaram, nessas 3 décadas, muitas estórias de vitórias, derrotas, perdas, ganhos, tragédias, superações, denúncias, boas práticas... Estórias que recarregam o otimismo ou que nos fazem descrer das possibilidades de convivência harmônica entre as espécies, estórias para lembrar e outras que não conseguimos esquecer. Mas sempre estórias que têm um denominador comum: o amor pelo nosso planeta.

Se as assinaturas de chefes de estado em documentos construídos com belas palavras não conseguiram garantir mudanças de padrões capazes de sustentar a VIDA, talvez a união dos povos possa produzir esse efeito. Mas a união só pode ocorrer se existir o respeito pelo outro, e esse respeito vem através do conhecimento e da percepção de que estamos todos num mesmo barco. Somos todos UM. O ECOCINE, nesses 30 anos de estórias se coloca, mais uma vez, como um espaço livre – e quiçá libertário - onde a polifonia seja capaz de produzir, em uníssono, o chamado/apelo para uma vida sustentável já.

Quando o meio ambiente se tornou “produto” em mercados voltados para a construção de falsas imagens, o ECOCINE disse “não”. E optou em seguir seus caminhos, por vezes em pequenas estradas de chão batido, em vários recantos do Brasil e do exterior, desacompanhado dos grandes patrocinadores, mas sempre fiel ao seu propósito de transformar através da liberdade de expressão.

E é sempre com o sentimento renovado de orgulho pela sua história que o ECOCINE se apresenta e convida todas as vozes para o diálogo. Tem sido fácil? Não. Mas como diz o poeta “tudo vale a pena quando a alma não é pequena.”

O que um Festival de cinema tem a ver com uma rede social animal?

Tudo! Entre e confira! Nosso conteúdo é animal!

Ecocine Inspiração

Do que o mundo precisa?

Amor, amizade, respeito, generosidade, ação, construção, reconstrução. O mundo precisa de várias coisas mas talvez, uma das mais importantes, seja INSPIRAÇÃO. Esse é o convite que o ECOCINE 30 ANOS faz para os cineastas e o público: inspire e se inspire. Vamos (re)descobrir o valor de pessoas, grupos, ações e gestos capazes de nos inspirar a buscar tudo aquilo de que o mundo, de fato, precisa. ECOCINE RIO + 30 abre as inscrições para a quem quer viver num mundo mais inspirado.

Cartazes

Cartazes de algumas edições anteriores.

Conheça a Tao Play nossa plataforma de streaming

A plataforma oficial do Ecocine

Equipe

.

Ariane Porto

Presidente de Honra

Antropóloga, pós doutora em comunicação e artes

KK Araújo

Diretora

Cineasta e diretora da Pimenta Brasil Filmes

Bernadete Passos

Produtora Executiva

Gestora cultural e diretora presidente do Instituto Colibri

Pedro Scotti

Gestão Administrativa

Doutor em Sociologia e vice-presidente do Instituto Colibri

Luíza Pasim

Produtora

Diretora de produção (cinema, teatro, shows)

Marcelo Gomes

Produtor

Diretor de produção e ator

Raquel Luccat

Comunicação

Curadores

Apresentadores do Ecocine 2021

Bernadete Passos

Gestora cultural e diretora presidente do Instituto Colibri

Produtora Executiva

Ana Carolina Pereira da Silva

Professora de turismo

Coordenadora da Biblioteca Comunitária Quilombo do Campinho, em Paraty (RJ)

Marcelo Gomes

Diretor de produção e ator

Diretor Artístico da escola de Samba Leandro de Itaquera

Valéria Monteiro

Jornalista

Âncora da Rio 92 para o Jornal Nacional

Comissão de Seleção

Os filmes doram selecionados por 48 integrantes da comissão internacional, composta por diretores de cinema, atores, arquitetos, escritores, de 13 países, incluindo Brasil - Alemanha, Japão, Índia, Polinésia Francesa, Argentina, Chile, Estados Unidos, Qatar, Espanha, Canadá, Portugal, Itália.

A seleção final será feita por 4 curadores, do Brasil, Índia e Canadá.

Produção

Contato

Para informações ou dúvidas entre em contato por um dos canais abaixo, responderemos o mais breve possível.